Que água e equipamentos eletrônicos não combinam a gente já sabe, mas não é por isso que ‘PHishing’ – muito confundido com FIshing, palavra em inglês para ‘pescaria’ – tem assustado os usuários da internet nos últimos anos. É que esse foi o termo escolhido para se referir a uma prática feita por criminosos para roubar dados de internautas, sempre usando uma ‘isca’ que pode ser um pedido para clicar em um link, pedir para baixar um arquivo via e-mail ou até mesmo websites simulando a área logada do seu banco. Nós vamos te contar um pouco dessa prática e como se prevenir dela.

 

 

Como funciona o phishing?

 

Todos os dias, milhões dessas ‘iscas’ são disparadas como forma de e-mails, pop-ups em websites e até mesmo como anúncios online. Além de pedidos de cliques em links ou pedidos de transferências de arquivos que não foram solicitados, há também anúncios fraudulentos em redes sociais. Criminosos usam essas iscas para que usuários de internet forneçam informações pessoais e/ou dados sensíveis, como conta e senha de e-mails e dados bancários, endereço e afins. Ou até mesmo fazendo internautas clicarem em links que contêm programas espiões para que eles instalem em seus computadores ou celulares. Em épocas como a Black Friday, esse tipo de disparo aumenta e é muito comum criarem até mesmo sites falsos simulando e-commerces muito conhecidos para tentar fisgar consumidores com promoções boas demais para serem verdade.

 


Como saber se é phishing?


Se você recebeu algum e-mail suspeito pedindo para clicar em um link, ou para baixar arquivos que você nunca pediu, ou até mesmo endereços de sites com erros de grafia, já são boas pistas de que algo não está certo. Para tornar os usuários craques em identificar phishing, o Google montou uma plataforma para você testar seus conhecimentos e começar a identificar tentativas de phishing com mais facilidade. Em forma de quiz ele ensina alguns macetes importantes para sempre observar antes de clicar em links, abrir anexos ao receber mensagens via e-mail, SMS, aplicativos de troca de mensagens, como WhasApp e redes sociais. Clique aqui para ir para o teste.


Como se prevenir do phishing


Agora que você já sabe o que é phishing e está aprendendo a identificá-lo, confira algumas dicas importantes para você não cair nesse e em outros tipos de golpes na internet:

 

1. Cuidado com promoções e descontos exagerados. Nunca clique no link das mensagens que receber em SMS, e-mail, WhatsApp, redes sociais etc. Para ver uma oferta, acesse o site digitando o endereço dele na barra do navegador.

 

2. Se for fazer compras on-line e em Market Places – e-commerces que abrigam vendedores dentro de seus sites para vendas - conheça o vendedor e a loja avaliando os comentários e a sua reputação: veja se quem já comprou recebeu o produto e se chegou em perfeitas condições.

 

3.  Antes de incluir os dados do cartão para efetuar o pagamento tenha certeza de que está na página oficial da loja ou da empresa de pagamento online.

 

4. Cadastre o serviço de aviso por SMS, sua ativação é imediata. Com ele você acompanha as movimentações da conta ou cartão de crédito em tempo real.

 

5. Utilize sempre o cartão virtual em suas compras online: além de mais prático é mais seguro. Você pode fazer o seu pelo app da Credicard.

 

6. Instale um software antivírus e atualize sempre. Utilize senhas em seus dispositivos, inclusive no roteador de sua casa. Baixe programas e aplicativos somente nas lojas oficiais. Essas práticas ajudam a bloquear possíveis ameaças.

Continue acompanhando os conteúdos do Blog da Credicard e fique por dentro de mais dicas.